conteúdo
Notícias
12/06/2017

E.M.E.F. Prof. Moacyr Pires debate sobre trabalho infantil


Estudantes realizaram atividades do projeto “Resgate a Infância" do Ministério Público do Trabalho



Alunos e alunas da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Moacyr de Araújo Pires realizaram atividades para discutir sobre o trabalho infantil, nessa segunda-feira (12), data mundial de combate ao trabalho infantil. Os estudantes, do sexto ao nono ano, apresentaram poesias, peças de teatro, músicas e desenhos que abordavam o tema.

Com o objetivo de prevenir e combater o trabalho infantil, conscientizar a sociedade, fomentar políticas públicas, promover a formação profissional e proteger o trabalhador adolescente, a Prefeitura de Capão da Canoa desenvolve, em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT), o projeto “Resgate a Infância”.

O Prefeito de Capão da Canoa, Amauri Magnus Germano, destaca a relevância dessa parceria com o MPT na busca pela solução desse problema, que é o trabalho infantil. “Sabemos do contexto social muitas vezes difícil, mas temos que trabalhar para que nossas crianças e jovens ocupem esse período especial da vida estudando e aproveitando da melhor maneira possível, não trabalhando, muitas vezes, contra a própria vontade”, afirma.

Capão da Canoa é o segundo a receber a implantação do Projeto no Rio Grande do Sul. O primeiro foi Passo Fundo, em novembro de 2016. Em duas oportunidades, foram realizadas reuniões organizadas pela coordenadora regional da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho de Crianças e Adolescentes (Coordinfância), procuradora do Trabalho Patrícia de Mello Sanfelici, e pela assistente social da Assessoria de Planejamento, Gestão Estratégica e Serviço Social (Apges), Vitória Raskin, lotadas no MPT em Porto Alegre.

Em todo o Brasil, a mão de obra de crianças e adolescentes ainda é explorada de forma indiscriminada. Seja nos semáforos, nos lixões, em feiras, restaurantes, no campo, em indústrias ou dentro de casa, os direitos à infância e à educação são negados para quase três milhões de crianças e adolescentes no país, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A legislação internacional define o trabalho infantil como aquele em que as crianças ou adolescentes são obrigadas a efetuar qualquer tipo de atividade econômica, regular, remunerada ou não, que afete seu bem-estar e o desenvolvimento físico, psíquico, moral e social.




Créditos: Bernardo Zamperetti/Imprensa PMCC


Acessibilidade


Para navegação via teclado,
utilize a combinação
ALT + TECLA DE ATALHO