conteúdo
Notícias
03/08/2020

Mesmo durante pandemia, escola municipal desenvolve horta comunitária e pedagógica


Através da horta, é possível trabalhar a realidade e aproximar os alunos de questões que fazem parte do meio social, como a preocupação com os recursos naturais e com alimentação saudável



Na gestão escolar de 2019, dirigida pela professora Marcela Santos, surgiu a idéia, na Escola Municipal de Educação Infantil Pingo de Gente, de um projeto que tem como objetivo garantir com a existência de uma horta. Cores, aroma e sabores: a importância de uma alimentação saudável.  

O projeto tem como objetivo contribuir com ações que sejam o bem estar físico e mental, gerando conhecimentos sobre si e o outro em busca do respeito, cooperação e autonomia. Além disso, visa ampliar e reforçar as informações que são passadas para as crianças no dia a dia, ajudando a melhorar e desenvolver suas noções sobre os hábitos alimentares e a cultura de consumo de alimentos naturais.

Duas são as principais fontes de parceria: com o Lions, na pessoa do Sr. Eron - que fornece sempre as mudas de alface, couve, cenoura, temperos verdes e outros - e com a parceria da Fazenda de Recuperação Gideões, que auxiliou na construção, idealização e realização da horta, e que continua nos auxiliando na manutenção de grandes esforços. Nasceu, então, uma horta coletiva, onde produção de hortaliças destina a reforçar a alimentação oferecida na escola com hortaliças e ervas medicinais in natura orgânicas provenientes da horta, incentivando assim o consumo pelas crianças, em especial, reforçando o aspecto didático na educação ambiental concernente à produção e consumo de hortaliças  

De acordo com o Prefeito de Capão da Canoa, Amauri Magnus Germano, viabilizar às crianças e aos profissionais que tenham um acompanhamento técnico sobre a importância da alimentação saudável é fundamental. “Temos de parabenizar a direção, os funcionários e os alunos, que servem de exemplo de dedicação, organização e bons resultados nesse projeto que é espetacular”, diz.

Conforme a equipe diretiva da escola, a participação e o envolvimento efetivo das crianças nas práticas de produção e manutenção dos canteiros, como sementeira, transplantes de mudas, controle das ervas daninhas e colheita, servem para estimular as crianças ao trabalho solidário, de divisão de tarefas e de mútua ajuda assim como a importância do consumo e de uma alimentação saudável. 

Antes do decreto devido à pandemia do Covid, as turmas, com apoio dos professores e auxiliares, participaram no projeto da horta escolar, atuando nos cuidados do plantio, como regar, limpar a terra tirando as ervas daninhas, e participavam da colheita.

Contudo, mesmo durante a pandemia a horta continua sendo executada. Graças ao vigilante Rafael Conceição, que se dedica, além dos seus afazeres laborais, para cuidar da horta. Ele atualmente é responsável pela continuidade e existência da horta, preparando a terra com adubo orgânico e terra preta, plantando, dando manutenção e colhendo as hortaliças, as quais hoje são destinadas às nossas famílias carentes. Desta forma quando tudo passar, as crianças poderão dar continuidade no projeto.

 




Créditos: Bernardo Zamperetti


Acessibilidade


Para navegação via teclado,
utilize a combinação
ALT + TECLA DE ATALHO