conteúdo
Notícias
02/03/2022

Reunião do Comdape e Emater trata sobre ordenamento pesqueiro


Uma das pautas foi a assinatura do contrato de concessão de uso de espaço para pesca de cabo na orla marítima



Tendo em vista que as atividades da pesca artesanal, na modalidade de cabo de beira de praia, iniciam em março, o Conselho Municipal de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca (COMDAPE) e Emater/RS-Ascar realizaram uma reunião, na última quinta-feira (24), com os pescadores e pescadoras, para tratar da assinatura do contrato de concessão de uso de espaço para pesca de cabo na orla marítima, que está em vigor desde 2020. Dentre as cláusulas do contrato, está uma que é dever do pescador informar, semanalmente, quantidade e espécie capturadas, para fins de coleta de dados formais.

A orla encontra-se demarcada com placas indicativas, conforme exigência da legislação em vigor, e os pescadores exercem a atividade de 15 de março a 15 de dezembro, conforme Decreto Municipal.

“Capão da Canoa conta com o Conselho Municipal ativo e participativo, bem como os trabalhos da extensão rural e social, prestados através da Emater, para apoiar a atividade da pesca, setor importante para o desenvolvimento das famílias”, afirma o Prefeito de Capão da Canoa, Amauri Magnus Germano.

Na quarta-feira (23), aconteceu, também, uma reunião na Colônia Z-30, em Xangri-Lá, na qual muitos pescadores do município de Capão da Canoa são associados. Foram discutidos vários assuntos, desde talão de nota do produtor, preenchimento da Guia GPS, manutenção da carteira do pescador – RGP, pesca monitorada do bagre. Esteve presente representante da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Pesqueiro, da Assembleia Legislativa do RS, o Deputado Zé Nunes.

 




Créditos: Bernardo Zamperetti


Acessibilidade


Para navegação via teclado,
utilize a combinação
ALT + TECLA DE ATALHO